Gestão de Processos

5 (1)"> 5 Passos para solução de problemas no seu processo de tratamento de água ou efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

5 Passos para solução de problemas no seu processo de tratamento de água ou efluentes 5 (1)

3 minutos Tentativa e erro não é definitivamente a única forma de solução de problemas! A maneira mais econômica para atingir os objetivos de desempenho nos processos de tratamento de água ou efluentes é adotar boas técnicas de solução de problemas. E para isso, o  diagnóstico correto é imprescindível. 1. Os passos principais Reconhecer que existe um problema; Atribuir prioridades para garantir que cada problema receba atenção adequada; Reunir dados da planta e do processo de forma a estabelecer um histórico; Encontrar a causa Leia mais

5 (4)"> Você sabe qual a finalidade do tratamento preliminar em uma ETE?<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (4)</span></span>

Você sabe qual a finalidade do tratamento preliminar em uma ETE? 5 (4)

5 minutos Primeiramente, vamos definir o que é o tratamento preliminar: Tratamento Preliminar de Efluentes é a primeira etapa do tratamento cuja finalidade é a remoção de sólidos grosseiros e areia, a fim de que estes não danifiquem as tubulações e os sistemas de bombeamento, protegendo portanto, as próximas etapas do processo. Os mecanismos básicos de remoção são de ordem física, sendo que o fluxo típico do esgoto nesse nível de tratamento corresponde basicamente à passagem do efluente em uma grade, peneira, em um Leia mais

5 (4)"> 12 parâmetros relacionados ao tratamento de efluentes que você precisa conhecer<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (4)</span></span>

12 parâmetros relacionados ao tratamento de efluentes que você precisa conhecer 5 (4)

7 minutos Quais os parâmetros no tratamento de efluentes que você conhece?  Veja as variáveis mais importantes e utilizadas no processo de tratamento de efluentes: 1. DBO – Demanda Bioquímica de Oxigênio Retrata a quantidade de oxigênio requerida para estabilizar, através de processos bioquímicos, a matéria orgânica carbonácea. É uma indicação indireta, portanto, do carbono orgânico biodegradável. As principais vantagens do teste da DBO: Indicação aproximada da fração biodegradável do despejo; Indicação da taxa de degradação do despejo; Indicação da taxa de consumo de Leia mais

5 (4)"> Medição de vazão e suas implicações no tratamento de água e efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (4)</span></span>

Medição de vazão e suas implicações no tratamento de água e efluentes 5 (4)

8 minutos Vazão, quantificação hidráulica e suas implicações no tratamento de água e efluentes.  Você gostaria de manter o seu sistema de tratamento equilibrado? Seja ele tratamento de água ou efluente? Tenho certeza que sim! Mas existe uma grande chance de estar cometendo um erro e impactando diretamente na eficiência e estabilidade do seu processo. Ignorada ou irrelevante para muitos, é essa variável que quase sempre vai nortear o seu processo, seja ele tratamento de água ou efluentes. Variável essa que determina as cargas Leia mais

5 (4)"> Conheça as Etapas do Processo de Tratamento de Efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (4)</span></span>

Conheça as Etapas do Processo de Tratamento de Efluentes 5 (4)

8 minutos Você conhece as etapas de tratamento de efluentes? O tratamento de efluentes acontece em várias etapas, cada uma delas com uma finalidade, operação, controle e monitoramento específicos. Pensou que era tarefa fácil fazer a mágica acontecer? Não é! É bastante desafiador manter todas as engrenagens do sistema em perfeita harmonia. O grau de tratamento de efluentes (ou despejos) depende de 2 fatores básicos: Da qualidade desse efluente antes de ser lançado no corpo receptor. Da legislação ambiental em vigor que regula os padrões Leia mais

4.9 (8)"> Acabando de vez com os problemas de sedimentabilidade do lodo<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>4.9 (8)</span></span>

Acabando de vez com os problemas de sedimentabilidade do lodo 4.9 (8)

5 minutos Tenha certeza de uma coisa, para qualquer observação, desafio ou problema, existem causas prováveis e medidas corretivas. Na identificação de um problema, a observação visual do processo de tratamento é essencial e a capacidade de resolução vital. As observações do teste de sedimentabilidade do lodo diz e muito a respeito da condução do tratamento, mas é importante saber interpretar esse teste que é rápido e simples. Indícios de que pode haver um problema vão desde uma sedimentabilidade “nebulosa”, cinzas no sobrenadante ou Leia mais

5 (2)"> Desvendando a respirometria no tratamento de efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (2)</span></span>

Desvendando a respirometria no tratamento de efluentes 5 (2)

6 minutos Desvendando a respirometria no tratamento de efluentes Desde a descoberta do processo de lodo ativado no início do século XX, tem se reconhecido que a taxa respirométrica é um importante indicador da condição do processo de respirometria. Mas o que é a respirometria? A respirometria é uma técnica que mede a velocidade de consumo de oxigênio e quantidade de oxigênio consumido pelas bactérias contidas no lodo ativado para sua sobrevivência (respiração endógena) e para degradar (oxidar) o substrato no efluente (respiração exógena). Leia mais

5 (1)"> Vale a pena investir em consultoria para ETA e ETE?<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

Vale a pena investir em consultoria para ETA e ETE? 5 (1)

6 minutos Quais são os serviços oferecidos em uma consultoria, quais os principais problemas e desafios, e o custo? As práticas de consultoria para os sistemas de tratamento de água e efluentes são realizadas por uma empresa de consultoria ambiental que atua como um processo interativo como agente de mudanças externo à empresa, assumindo a responsabilidade de auxiliar e suportar os profissionais da organização nas tomadas de decisões, não sendo responsável, entretanto, pelo controle direto da situação. A prestação de serviços de consultoria ambiental Leia mais

5 (4)"> Como monitorar o decantador secundário e obter melhor performance<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (4)</span></span>

Como monitorar o decantador secundário e obter melhor performance 5 (4)

5 minutos Entenda porque o monitoramento dessa unidade não deve ser ignorada. Ele também merece toda a nossa atenção e é de extrema importância quando falamos em eficiência de processo no tratamento de efluentes. O decantador secundário ou clarificador final como é conhecido por alguns é um dos processos unitários mais importantes e determinante na eficiência do tratamento de efluentes. Os decantadores secundários no processo de lodos ativados são responsáveis pela separação da fase líquida e fase sólida, executando duas funções principais: clarificação e Leia mais

5 (4)"> A importância da suplementação com nutrientes no processo de tratamento de efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (4)</span></span>

A importância da suplementação com nutrientes no processo de tratamento de efluentes 5 (4)

6 minutos Você certamente já ouviu falar na relação DBO:N: P. Entenda porque uma relação equilibrada de nutrientes é essencial para o bom desempenho do processo de tratamento de efluentes. A relação de Redfield e sua importância Descoberta em 1934 por Alfred Redfield é a relação atômica de carbono, nitrogênio e fósforo encontrados no fitoplâncton e em todos os oceanos profundos. Esta relação estequiométrica desenvolvida empiricamente foi originalmente encontrada como C: N: P = 106: 16: 1 (e foi recentemente revisada para 117: 14: Leia mais