5 (1)"> Estabelecendo paradigmas e novas percepções na operação de ETE’s<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

Estabelecendo paradigmas e novas percepções na operação de ETE’s 5 (1)

2 minutos Tentativa e erro é um método de resolução de problemas, mas não é o único.E já falamos sobre isso! Conheça aqui o guia de solução de problema em tratamento de efluentes que elaboramos para te ajudar no desafio do dia a dia operacional! Estabelecendo paradigma É um termo de origem grega, “parádeigma”, que significa modelo ou padrão. Num sentido mais amplo corresponde a algo que vai servir de modelo ou exemplo a ser seguido em determinada situação. São as normas orientadoras de Leia mais

5 (1)"> Livros sobre tratamento de efluentes que não podem faltar na sua ETE<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

Livros sobre tratamento de efluentes que não podem faltar na sua ETE 5 (1)

5 minutos Ler um post, baixar um e-book já fazem parte do nosso cotidiano, e até ajudam muito nessa rotina alucinante e sem tempo na qual todos nós vivemos. Mas há momentos em que necessitamos de conteúdo mais denso, menos superficial e não há como escapar dos velhos e bons livros, em tratamento de efluentes temos excelentes opções, leitura obrigatória para qualquer profissional que se aventure na vida de herói do saneamento! Que tal aproveitar o momento e colocar alguns deles na sua “lista Leia mais

5 (1)"> 10 coisas sobre saneamento que você não sabia<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

10 coisas sobre saneamento que você não sabia 5 (1)

3 minutos Entre os muitos desafios enfrentados no Brasil, a questão da garantia do saneamento básico é um dos mais desafiadores. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase dois milhões de domicílios no País ainda não tem abastecimento de água adequado. Além disso, ainda segundo o IBGE, mais de 1,5 milhão de residências ainda não possuíam banheiros e, sequer, sanitários. E, pasmem, mais 7 milhões de residências lançam seus dejetos não ambiente, ou seja, de forma inadequada e extremamente prejudicial. 10 coisas sobre Leia mais

5 (1)"> Pegada Hídrica: a água que você não vê<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

Pegada Hídrica: a água que você não vê 5 (1)

4 minutos Você já ouviu falar em Pegada hídrica? Para começar a lhe explicar, a Pegada hídrica pode se referir a um indivíduo, comunidade ou empresa. Também, podemos lhe adiantar que tem a ver com o volume total de água doce que são utilizados para produzir várias coisas que consumimos. Sei que ainda não ficou muito claro, mas isso é algo que pretendemos fazer na sequência deste artigo. Mas, continue conosco, pois você verá que é um tema bastante interessante e que tem tudo a ver com Leia mais

5 (1)"> 5 Passos para solução de problemas no seu processo de tratamento de água ou efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

5 Passos para solução de problemas no seu processo de tratamento de água ou efluentes 5 (1)

3 minutos Tentativa e erro não é definitivamente a única forma de solução de problemas! A maneira mais econômica para atingir os objetivos de desempenho nos processos de tratamento de água ou efluentes é adotar boas técnicas de solução de problemas. E para isso, o  diagnóstico correto é imprescindível. 1. Os passos principais Reconhecer que existe um problema; Atribuir prioridades para garantir que cada problema receba atenção adequada; Reunir dados da planta e do processo de forma a estabelecer um histórico; Encontrar a causa Leia mais

5 (1)"> A importância do Saneamento Básico<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

A importância do Saneamento Básico 5 (1)

4 minutos O saneamento básico consiste na atividade de coleta e tratamento do esgoto, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos e controle de pragas, assim como qualquer tipo de agente patogênico, visando à saúde das comunidades. O abastecimento de água potável e o manejo de água pluvial também fazem parte das atividades nas quais se enquadram o saneamento básico. A água é fonte de vida na terra, e a civilização humana desabrochou onde havia fontes confiáveis e limpas de água doce. Sendo assim, para Leia mais

5 (1)"> Você sabe qual a finalidade do tratamento preliminar em uma ETE?<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

Você sabe qual a finalidade do tratamento preliminar em uma ETE? 5 (1)

5 minutos Primeiramente, vamos definir o que é o tratamento preliminar: Tratamento Preliminar de Efluentes é a primeira etapa do tratamento cuja finalidade é a remoção de sólidos grosseiros e areia, a fim de que estes não danifiquem as tubulações e os sistemas de bombeamento, protegendo portanto, as próximas etapas do processo. Os mecanismos básicos de remoção são de ordem física, sendo que o fluxo típico do esgoto nesse nível de tratamento corresponde basicamente à passagem do efluente em uma grade, peneira, em um Leia mais

5 (1)"> Tecnologias para tratamento de efluentes, como escolher a mais adequada?<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

Tecnologias para tratamento de efluentes, como escolher a mais adequada? 5 (1)

2 minutos Existem diversas tecnologias para tratamento de efluentes e você sabe qual é a melhor? Simples! A melhor tecnologia de tratamento será aquela que melhor compatibilizar-se com os condicionantes e critérios do contexto sócio-ambiental, técnico e econômico de aplicação. É possível classificá-las em diferentes grupos: sistemas passivos e intensivos, biológicos ou físico-químicos, compactos ou extensivos,  naturais ou mecanizados são algumas das divisões possíveis. Para a escolha da melhor tecnologia para tratamento de efluentes, devemos estudar os seguintes fatores: características do efluente a ser Leia mais

5 (3)"> 12 parâmetros relacionados ao tratamento de efluentes que você precisa conhecer<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (3)</span></span>

12 parâmetros relacionados ao tratamento de efluentes que você precisa conhecer 5 (3)

7 minutos Quais os parâmetros no tratamento de efluentes que você conhece?  Veja as variáveis mais importantes e utilizadas no processo de tratamento de efluentes: 1. DBO – Demanda Bioquímica de Oxigênio Retrata a quantidade de oxigênio requerida para estabilizar, através de processos bioquímicos, a matéria orgânica carbonácea. É uma indicação indireta, portanto, do carbono orgânico biodegradável. As principais vantagens do teste da DBO: Indicação aproximada da fração biodegradável do despejo; Indicação da taxa de degradação do despejo; Indicação da taxa de consumo de Leia mais

5 (3)"> Processamento de lodos de ETE’s em 4 passos<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (3)</span></span>

Processamento de lodos de ETE’s em 4 passos 5 (3)

2 minutos O grande desafio atual, o que fazer com o resíduo sólido gerado nas ETE’s? O tratamento e disposição do lodo são fundamentais no tratamento biológico dos efluentes, pois eles geram lodos na forma de uma suspensão de flocos e dependendo da natureza e origem dos sólidos, distingue-se lodo primário e lodo secundário. O lodo primário é gerado a partir da sedimentação de material particulado do afluente. O lodo secundário ou biológico é gerado no reator biológico do sistema de tratamento, constituindo-se em Leia mais