O que você precisa saber sobre a água que consome, e como isso pode afetar você

O que você precisa saber sobre a água que consome, e como isso pode afetar você

Tempo de leitura: 5 minutos

5
(1)

Água potável e a importância da vigilância no controle da qualidade da água, padrões de qualidade e prevenção de doenças.

água é essencial para a vida no planeta, como estamos cansados de saber, mas você sabe quais são as propriedades e até riscos presentes na água potável? Veja!

O que é água potável

Água Potável é aquela que reúne características que a coloca na condição própria para o consumo do ser humano. Portanto, a água potável deve estar livre de qualquer tipo de contaminação.

Porém, infelizmente, a maior parte da água dos continentes está contaminada e, por isso, não pode ser ingerida diretamente.

A água potável deve ser segura o suficiente para ser consumida por seres humanos com um risco mínimo de danos a curto ou a longo prazo.

Os usos típicos da água potável são beber, cozinhar, lavar, lavagem de banheiros e irrigação agrícola.

Características e contaminantes típicos

A água potável pode ser de uma fonte natural, desde que não haja nenhum tipo de contaminação em sua nascente ou percurso, o que é muito difícil.

Pode ser também obtida através de um processo de tratamento físico e ou químico.

Nas cidades, este processo é realizado nas ETAs (Estações de Tratamento de Água).

E o objetivo do tratamento de água é retirar os contaminantes existentes, tornando-a potável, isso é passível de consumo humano.

Contaminantes de água que o tornam não potável se dividem basicamente em duas categorias:

  • Contaminantes físicos ou químicos, como metais pesados, compostos orgânicos e sólidos em suspensão, como matéria vegetal ou resíduos animais.
  • Contaminantes microbiológicos, como bactérias (os mais comuns são E. coli), vírus e parasitas.

Qualidade da água e prevenção de doenças

A água pode veicular um elevado número de enfermidades e essa transmissão pode se dar por diferentes mecanismos.

O mecanismo de transmissão de doenças mais comumente lembrado e diretamente relacionado à qualidade da água é o da ingestão, por meio do qual um indivíduo sadio ingere água que contenha componente nocivo à saúde e a presença desse componente no organismo humano provoca o aparecimento de doença.

Um segundo mecanismo refere-se à quantidade insuficiente de água, gerando hábitos higiênicos insatisfatórios e daí doenças relacionadas à inadequada higiene – dos utensílios de cozinha, do corpo, do ambiente domiciliar.

Outro mecanismo compreende a situação da água no ambiente físico, proporcionando condições propícias à vida e à reprodução de vetores ou reservatórios de doenças.

Um importante exemplo é o da água empoçada, contaminada por esgotos, como habitat para o molusco hospedeiro intermediário da esquistossomose.

Outro exemplo desse mecanismo é o da água como habitat de larvas de mosquitos vetores de doenças, como o mosquito Aedes aegypti e a dengue.

O Aedes aegypti necessita de coleções de água para o seu ciclo de reprodução. É importante destacar que tanto a qualidade da água quanto a sua quantidade e regularidade de fornecimento são fatores determinantes para o acometimento de doenças no homem.

Padrões de qualidade da água

A maior parte da água natural requer gerenciamento de qualidade para torná-la potável e segura para o consumo humano.

No Brasil, a vigilância e controle da qualidade da água para consumo humano é realizada pelo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde por meio da PORTARIA Nº 2.914, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011, dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

Esta Portaria se aplica à água destinada ao consumo humano proveniente de sistema e solução alternativa de abastecimento de água.

As disposições desta Portaria não se aplicam à água mineral natural, à água natural e às águas adicionadas de sais, destinadas ao consumo humano após o envasamento, e a outras águas utilizadas como matéria-prima para elaboração de produtos, conforme Resolução (RDC) nº 274, de 22 de setembro de 2005, da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Toda água destinada ao consumo humano, distribuída coletivamente por meio de sistema ou solução alternativa coletiva de abastecimento de água, deve ser objeto de controle e vigilância da qualidade da água.

Toda água destinada ao consumo humano proveniente de solução alternativa individual de abastecimento de água, independentemente da forma de acesso da população, está sujeita à vigilância da qualidade da água.

Revogada Portaria nº 2914/2011

Ah, mas a Portaria nº 2914/2011 foi revogada no dia 03 de outubro de 2017, através do Suplemente DOU nº 190  publicado a Portaria de Consolidação nº 5, de 28 de setembro de 2017, através do Art. 864, inciso CXXXIII.

Sim, foi revogada por consolidação, o que significa que embora a portaria não esteja mais vigente, seu conteúdo foi consolidado, ou seja, seu conteúdo está inserido dentro da Portaria de Consolidação.

No processo de consolidação realizado pelo Ministério da Saúde, foram analisados mais de 18.000 (dezoito mil) portarias publicadas desde 1990 até a data de 28 de setembro de 2017, e contou com a participação especialistas de diversas áreas do saber, tais como medicina, saúde pública, direito sanitário, direito regulatório, ciência da informação, biblioteconomia e ciência da computação.

Mas o que mudou? Nada, nenhum requisito foi alterado.

Todos os provedores de serviços de água potável devem cumprir estas Diretrizes.

Acesse nossa sessão de Materiais Ricos e baixe nossos e-Books, Guias e Planilhas que ajudarão você na gestão da sua ETA.

O que você achou do post?

Avalie-nos

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *