análises

5 (15)"> Desmistificando a DBO: importância e os principais erros<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (15)</span></span>

Desmistificando a DBO: importância e os principais erros 5 (15)

7 minutos No dia a dia operacional, vimos que a compreensão da DBO não é tão popular quanto o termo, mas na prática: o que é a demanda bioquímica de oxigênio? A DBO, diferente de outros parâmetros físico químicos também populares, ainda gera inúmeras dúvidas quanto ao desenvolvimento da análise e sua interpretação, talvez seja porque a demanda bioquímica de oxigênio não é uma “partícula definível”, você não pode contar moléculas de DBO. A intenção dessa análise é de fato medir o efeito da amostra Leia mais