Gestão de Processos

5 (3)"> Caixa de areia: como essa etapa pode impactar drasticamente no custo do tratamento de efluentes?<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (3)</span></span>

Caixa de areia: como essa etapa pode impactar drasticamente no custo do tratamento de efluentes? 5 (3)

8 minutos Nem sempre damos a devida atenção a uma etapa de tratamento que é primordial e influencia no desempenho global do sistema e no custo: tratamento preliminar. E dentro da etapa preliminar o processo de remoção de areia, que além de importantíssimo reduz o custo do tratamento, quer saber como? Então vamos lá! Caixa de areia ou canal desarenador é via de regra o segundo processo unitário no tratamento preliminar de efluentes e destina-se a remover partículas inorgânicas suspensas, como matéria arenosa. Isso Leia mais

5 (3)"> Odor na ETE, como lidar com esse incômodo? <span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (3)</span></span>

Odor na ETE, como lidar com esse incômodo?  5 (3)

3 minutos Antes de tratarmos sobre esse assunto, é válido ressaltar que plantas bem projetadas e bem operadas tem esse incomodo mitigado. Posto isso, agora sim vamos a questão do odor!  Ah, antes é bom lembrar que odor não é um problema até os vizinhos reclamarem! Assim, o controle de odor é um fator importante que afeta não só o desempenho da ETE como também  a relação com a comunidade.  Os odores provenientes de estações de tratamento de efluentes, principalmente os domésticos, podem ser Leia mais

5 (4)"> Tratamento Terciário e a Desinfecção em Efluentes <span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (4)</span></span>

Tratamento Terciário e a Desinfecção em Efluentes  5 (4)

7 minutos Nem sempre contemplado em todos os sistemas, mas importante etapa complementar, o tratamento terciário dos efluentes visa reduzir ainda mais os orgânicos, nutrientes, turbidez, os metais e os patógenos. O foco aqui é o “polimento” desse despejo.   Quer entender como tudo isso funciona? Então vamos lá!  A maioria dos processos terciários envolve algum tipo de tratamento físico-químico, como coagulação, filtração, adsorção com carvão ativado, osmose reversa e desinfecção.  Esses tratamentos terciários podem incluir diversas etapas que vão depender do tipo de poluição do Leia mais

5 (5)"> O processo de equalização no tratamento de efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (5)</span></span>

O processo de equalização no tratamento de efluentes 5 (5)

9 minutos Como superar os problemas operacionais advindos das variações que são observadas na vazão e nas características físico químicas na maioria dos efluentes líquidos, principalmente os industriais? Com um tanque de equalização isso é possível!  Fornecer vazão e cargas regulares para um processo é importante para manter a boa performance do tratamento.  Embora seja comum estações de tratamento de efluentes domésticos receberem cargas hidráulicas e orgânicas muito estáveis, outros sistemas enfrentam grandes oscilações diariamente.  As bacias ou tanques de equalização (EQ) são projetados para amortecer Leia mais

5 (1)"> 4 Dúvidas comuns sobre o programa de capacitação em tratamento de efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

4 Dúvidas comuns sobre o programa de capacitação em tratamento de efluentes 5 (1)

7 minutos Você sabia que um dos maiores desafios do setor de saneamento e meio ambiente é encontrar profissionais qualificados? Segundo o plano nacional de saneamento lançado em 2014, o custo para universalizar os quatro serviços (água, esgoto, resíduos e drenagem) é de R$ 508 bilhões entre 2014 e 2033. Já para a universalização de água e esgoto, o custo será de R$ 303 bilhões. Mas não basta construir uma estação de tratamento de água e esgoto por exemplo se não temos profissionais capacitados Leia mais

5 (1)"> Tudo que você precisa saber sobre coleta e preservação de amostra<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

Tudo que você precisa saber sobre coleta e preservação de amostra 5 (1)

4 minutos É sabido que o resultado de qualquer método analítico não é mais importante do que a amostra analisada, isso significa dizer que a etapa de amostragem e preservação são tão ou mais importantes que o resultado. Válida e representativa O objetivo da amostragem é coletar uma parte do material pequeno o suficiente em volume para ser transportado convenientemente e ainda grande o suficiente para fins analíticos, enquanto ainda representa com precisão o material amostrado. Este objetivo implica que as proporções ou concentrações Leia mais

5 (3)"> 4 motivos pelos quais sua ETE apresenta perda de sólidos e queda de eficiência<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (3)</span></span>

4 motivos pelos quais sua ETE apresenta perda de sólidos e queda de eficiência 5 (3)

5 minutos O pesadelo do time em uma planta de tratamento de efluentes é se deparar do dia para a noite com uma situação como essa: perda de sólidos no decantador secundário, e olha, já vamos logo avisando que de nada adianta “bater uma água” na superfície para tentar limpar ou conter a situação, é como chover no molhado. Embora o processo de lodos ativados seja de extraordinária eficiência, problemas existem desde da sua criação, há mais de cem anos. Então vamos direto ao Leia mais

5 (1)"> Estabelecendo paradigmas e novas percepções na operação de ETE’s<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

Estabelecendo paradigmas e novas percepções na operação de ETE’s 5 (1)

2 minutos Tentativa e erro é um método de resolução de problemas, mas não é o único.E já falamos sobre isso! Conheça aqui o guia de solução de problema em tratamento de efluentes que elaboramos para te ajudar no desafio do dia a dia operacional! Estabelecendo paradigma É um termo de origem grega, “parádeigma”, que significa modelo ou padrão. Num sentido mais amplo corresponde a algo que vai servir de modelo ou exemplo a ser seguido em determinada situação. São as normas orientadoras de Leia mais

5 (2)"> Livros sobre tratamento de efluentes que não podem faltar na sua ETE<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (2)</span></span>

Livros sobre tratamento de efluentes que não podem faltar na sua ETE 5 (2)

5 minutos Ler um post, baixar um e-book já fazem parte do nosso cotidiano, e até ajudam muito nessa rotina alucinante e sem tempo na qual todos nós vivemos. Mas há momentos em que necessitamos de conteúdo mais denso, menos superficial e não há como escapar dos velhos e bons livros, em tratamento de efluentes temos excelentes opções, leitura obrigatória para qualquer profissional que se aventure na vida de herói do saneamento! Que tal aproveitar o momento e colocar alguns deles na sua “lista Leia mais

5 (1)"> 5 Passos para solução de problemas no seu processo de tratamento de água ou efluentes<span class="rmp-archive-results-widget "><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i><i class=" rmp-icon rmp-icon--ratings rmp-icon--star rmp-icon--full-highlight"></i> <span>5 (1)</span></span>

5 Passos para solução de problemas no seu processo de tratamento de água ou efluentes 5 (1)

3 minutos Tentativa e erro não é definitivamente a única forma de solução de problemas! A maneira mais econômica para atingir os objetivos de desempenho nos processos de tratamento de água ou efluentes é adotar boas técnicas de solução de problemas. E para isso, o  diagnóstico correto é imprescindível. 1. Os passos principais Reconhecer que existe um problema; Atribuir prioridades para garantir que cada problema receba atenção adequada; Reunir dados da planta e do processo de forma a estabelecer um histórico; Encontrar a causa Leia mais